Logo Posto Hoje

INFORMAÇÕES E SERVIÇOS PARA POSTOS DE COMBUSTÍVEIS

POSTO HOJE É ENVIADA SEMANALMENTE A DIRIGENTES DE POSTOS DE COMBUSTÍVEIS E LOJAS DE CONVENIÊNCIA

15/05/17

 

Brasil adota medida contra etanol de milho dos EUA

 

O Brasil adotou a partir desta segunda-feira uma medida que ajuda a proteger o mercado de etanol de cana brasileiro de crescentes importações do biocombustível de milho norte-americano, com a imposição de estoques mínimos pelos importadores. Segundo o ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, a medida é uma boa saída numa tentativa de conter fortes importações do produto norte-americano, uma vez que a imposição de taxação ao biocombustível estrangeiro, como defendem alguns grupos, poderia custar caro ao país, com possíveis retaliações norte-americanas. O ministro disse que o governo não está "barrando, mas criando algumas limitações para importações de etanol de milho", segundo declaração dada durante palestra em São Paulo. "Eu particularmente sou contra a taxação porque acho que isso vai voltar para nós bem mais caro, via retaliação, mas precisamos de algumas medidas para proteger nosso etanol de cana do etanol dos EUA de milho", disse ele. Com alternativa a uma tarifação, o governo publicou nesta segunda-feira resolução do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) que determina que agentes que exercerem a atividade de importação de biocombustíveis deverão atender as mesmas obrigações de manutenção de estoques mínimos e de comprovação de capacidade para atendimento ao mercado exigidas dos produtores instalados no país. Muitas empresas do setor que trabalham com importações têm boa capacidade de tancagem. Não estava claro imediatamente o impacto da medida.

Leia mais em http://extra.globo.com/noticias/economia/brasil-adota-medida-contr

 

O futuro do grupo Volkswagen é elétrico, mas sem prescindir dos motores diesel

 

Em sua reunião anual de acionistas, a Volkswagen reforçou o seu compromisso com a mobilidade elétrica, apontando para o lançamento de mais de 30 veículos elétricos até 2025. Para atingir essa meta, o grupo alemão investirá cerca de 10 bilhões de euros no desenvolvimento de sistemas elétricos e outros tipos de propulsão alternativa nos próximos cinco anos. Um dos objetivos é também investir em motores de combustão 10 a 15% mais eficientes e limpos até ao final da presente década. O CEO do grupo VW acredita que “o futuro é elétrico”. Aliás, nessa área, o objetivo é liderar o mercado em médio prazo. Entretanto, Matthias Müller não deixou de defender o compromisso com os motores diesel: “os motores diesel continuarão sendo indispensáveis em um futuro próximo”, apesar do escândalo Dieselgate, relacionado exatamente com a manipulação de emissões em motores a diesel. “Os motores de combustão interna são parte da solução, não parte do problema. O motor diesel foi inventado há 124 anos e ainda tem muito potencial que queremos explorar”, reforçou Müller.

Leia mais em  http://planetcarsz.com/artigo/o-futuro-do-grupo-volkswagen-e-eletr

 

Usineiros defendem em Londres aprovação do Programa Renovabio

 

A presidente da UNICA (União da Indústria da Cana de Açúcar), Elizabeth Farina, defendeu em Londres a aprovação do Programa Renovabio, do Ministério de Minas e Energia, como forma de fazer o Brasil avançar em suas metas de descarbonização do transporte no país. Farina participou de um debate sobre sustentabilidade no Brazil Forum, um um evento promovido por pesquisadores brasileiros na Inglaterra. Segundo Farina, o programa é fundamental para destravar os investimentos no setor sucroenergético e também um grande passo para fazer o Brasil atingir as metas de redução de emissão de gases de efeito estufa que assumiu no Acordo de Paris (COP-21).

Leia mais em http://www.valor.com.br/politica/4967578/usineiros-defendem-em-lo

 

ANP vai estimular participação de fundos de investimento nos leilões

 

A Agência Nacional do Petróleo (ANP) vai adotar medidas de estímulo à participação de fundos de investimentos nos próximos leilões de áreas petrolíferas. Segundo o diretor-geral da agência, Décio Oddone. Entre as medidas estarão a redução de exigência de capital das empresas para participação e simplificação das práticas para formação de consórcio. — Estamos trabalhando para que fundos de investimento possam entrar, em parceria com empresas. Para empresas que não têm o balanço muito robusto possam também se apoiar em fundos. Será por meio de consórcio. Estamos criando facilidade para isso acontecer. Isso sempre foi possível, mas nunca foi muito praticado — disse Oddone, acrescentando que os novos percentuais de exigência de capital estão sendo discutidos ainda. Depois de ter levantado R$ 8 milhões com a concessão de áreas petrolíferas em terra na quinta-feira, Oddone fará nas próximas semanas um "roadshow" com investidores internacionais com o objetivo de atraí-los para os próximos leilões que serão realizados no Brasil. Oddone fará reunião com investidores europeus em Londres na semana que vem e, na seguinte, estará em Nova York e San Diego para falar com o mercado americano.

Leia mais em  https://www.portosenavios.com.br/noticias/geral/38757-anp-vai-est

 

Petrobras corta US$ 3 bilhões de investimentos no ano

 

A Petrobrás reduziu de US$ 20 bilhões para US$ 17 bilhões a projeção de investimento em 2017. Ao detalhar o resultado financeiro do primeiro trimestre, a diretora de Exploração e Produção da petroleira, Solange Guedes, garantiu que os cortes não afetarão a produção de petróleo e gás natural neste ano. A estatal diz que vai economizar com redução de custo decorrente de ganhos de produtividade e também de negociações com fornecedores. Além disso, o atraso de licenciamentos ambientais acaba influenciando cronograma de projetos. A Petrobrás ainda postergou pagamentos, sem efeitos sobre a produção, segundo a executiva.“Pagamentos que a Petrobrás se programou para fazer em 2017 não ocorrerão agora”, disse Solange, em teleconferência com analistas de mercado. Durante a apresentação do resultado financeiro, a estatal também informou os próximos passos do seu programa de venda de ativos: US$ 21 bilhões até o fim do ano que vem. “A gente está trabalhando intensamente e espera ainda no primeiro semestre levar as informações ao mercado sobre cada um dos ativos que vão compor um novo portfólio do programa de desinvestimento”, afirmou o diretor financeiro, Ivan Monteiro. A revisão do programa foi exigida pelo Tribunal de Contas da União (TCU) como forma de garantir mais transparência ao processo. Segundo o diretor, o trabalho tem sido na identificação de ativos e na melhor maneira de apresentá-los ao mercado.

Leia mais em http://www.istoedinheiro.com.br/petrobras-corta-us-3-bilhoes-de-in

 

 

ALTA RODA

 

Fernando Calmon

 

Fernando Calmon é engenheiro e jornalista especializado no setor automobilístico desde 1967, quando produziu e apresentou o programa 'Grand Prix' na TV Tupi, no ar até 1980. Dirigiu a revista AutoEsporte por 12 anos e foi editor de automóveis das revistas O Cruzeiro e Manchete. Entre 1985 e 1994, produziu e apresentou o programa 'Primeira Fila' em cinco redes de TV. A coluna Alta Roda, criada em 1999, é publicada semanalmente na internet. Calmon também atua como consultor em assuntos técnicos e de mercado na área automobilística, e como correspondente para o Mercosul do site inglês just-auto. E-mail: fernando@calmon.jor.br e www.twitter.com/fernandocalmon

 

Dia de comemorar

 

Hoje é um dia especial para essa coluna, a de número 940, que completa 18 anos de publicação contínua nas 52 semanas do ano. Em primeiro lugar um agradecimento aos leitores e aos mais de 80 parceiros que reproduzem Alta Roda. As abordagens nesse espaço costumam ser bem focadas nos assuntos e o estilo, formal. Nessa edição segue invertido um meme das redes sociais. Divirta-se um pouco com nove mentiras e uma verdade, fruto de lendas urbanas e termos incorretos.

 

 

1) Transmissão mecânica – Usado incorretamente no Brasil para designar câmbio ou caixa de mudanças. Transmissão é todo o mecanismo que leva potência do motor às rodas – embreagem, câmbio, cardã, diferencial, semiárvores. Essa designação vem da língua inglesa. Algum “gênio” deve ter achado que M/G (manual gearbox ou caixa de câmbio manual) poderia ser confundido com a marca inglesa MG. E aí “criou” as siglas M/T e A/T reproduzidas aqui sem pudor. Todo câmbio é mecânico, manual ou automático.

 

2) Eletrônica embarcada – Toda eletrônica é de bordo já que não pode ser desembarcada como passageiro de avião. Se todos falam computador de bordo ou telefone de bordo por que só eletrônica ou tecnologia é “embarcada”?

 

3) Piloto automático – Má tradução do controle de velocidade de cruzeiro. “Piloto” automático só quando chegar direção totalmente autônoma.

 

4) Abastecer motor flex com gasolina a cada 10.000 km – Além de recomendação que poucos vão lembrar, não tem respaldo técnico. Teste de longa duração da revista 4 Rodas deste mês indicou o Audi A3 sedã turboflex, abastecido apenas com etanol, como o motor mais “limpo” de todos os tempos após ser desmontado.

 

5) Trocar amortecedor (40.000 km) e catalisador (80.000 km) – No primeiro caso basta simples inspeção. Troca de amortecedor depende das condições de uso. Mesmo caso do catalisador, sendo 80.000 km ou cinco anos a garantia. Esta peça pode durar menos ou até o que durar o motor (250.000 km ou mais).

 

6) Só existe um tipo de álcool – Negativo. Além do etanol, como deve ser adequadamente chamado, há metanol, propanol e butanol. Em todos os outros países, inclusive no Brasil, etanol é a denominação oficial.

 

7) Motor de 1.000 cilindradas – Cilindrada é grandeza e não unidade de volume. Então, 1.000 cm³ de cilindrada. Não existe dizer que um prédio tem 10 alturas ou um tanque de combustível comporta 40 volumes.

 

8) Pedaleiras e brake light – Só motocicletas possuem pedaleiras, a do piloto e a do garupa. Em automóveis há apenas uma pedaleira (conjunto de pedais). Brake light, em inglês, significa luz de freio, simplesmente. Falsa referência à luz auxiliar de freio.

 

9) Países europeus marcaram data para exigir apenas carros elétricos nas ruas – Bobagem. Há apenas desejos ou metas informais. Não é possível saber quando isso ocorrerá. Incentivos poderão ser oferecidos aos elétricos ou taxar mais os motores a combustão. Mas transição será definida por quem compra o veículo, não um burocrata qualquer.

 

10) Se decidir trocar apenas dois pneus, os novos devem sempre ir nas rodas traseiras – Isso é pura verdade. Dois pneus novos não devem ser montados nas rodas dianteiras e sim nas traseiras, para evitar uma derrapagem muito mais perigosa com a qual um motorista comum não lida bem.

 

RODA VIVA

 

EMBORA os números acumulados de vendas no primeiro quadrimestre de 2017 frente a 2016 continuem negativos (menos 17%), a média diária – aquela que realmente importa – subiu. Em abril 8,7 mil veículos foram comercializados por dia, crescimento de 7% sobre abril de 2016 e de 6% comparada a março último. Falta pouco para reversão de números negativos.

 

ENQUANTO isso, exportações continuam a crescer: 64% em relação ao primeiro quadrimestre do ano passado. A indústria exportou um terço de sua produção, melhor resultado até hoje. E não apenas veículos montados. Volkswagen fechou contrato para exportar 250.000 motores 1,4 TSI turbo para o México até 2020, vencendo concorrência interna da marca.

 

FORD revelou características do novo motor tricilindro flex de 1.5 litro, a ser fabricado em Taubaté (SP). Ao utilizar etanol atinge 137 cv (maior potência específica de um motor aspirado feito aqui) e 15,8 kgfm de torque. Nível de vibração é consideravelmente baixo para número ímpar de cilindros. Primeira aplicação mundial será no novo EcoSport, em agosto próximo.

 

NISSAN trouxe ao Brasil seu minivan elétrico NV 200 para demonstração inédita. Grande diferença é utilização de pilha a hidrogênio do tipo óxido sólido com reformador a bordo abastecido a etanol. Bastam apenas 30 litros do biocombustível para alcançar autonomia de 600 km. Custo/km é um terço do mesmo veículo abastecido a gasolina. Oferta comercial só em 2021.

 

CARTEIRA Nacional de Habilitação (CNH) ganha em segurança, sem aumento de custos. Novas CNH terão impressas no verso um código de barras do tipo QR (sigla em inglês para resposta rápida). Será o fim de falsificações, pois dados verdadeiros poderão ser lidos em telefones inteligentes com aplicativo compatível. Em cinco anos estará em todas as CNH do País.

Ex