Posto Hoje - Informação e serviços para postos de combustíveis
Logo Posto Hoje

INFORMAÇÃO E SERVIÇOS PARA POSTOS DE COMBUSTÍVEIS

Atualizado em

15 de setembro

de 2014

POSTO HOJE É ENVIADA SEMANALMENTE  A MAIS DE 8.000 POSTOS DE COMBUSTÍVEIS. FAÇA TAMBÉM SEU CADASTRO.

MPF-RJ denuncia Eike Batista por crimes contra o mercado

 

O Ministério Público Federal no Rio de Janeiro (MPF/RJ) denunciou o empresário Eike Batista por manipulação de mercado e uso indevido de informação privilegiada. Os crimes contra o mercado poderiam resultar em uma pena de até 13 anos de reclusão, como informou a assessoria do MPF na manhã de sábado (13). A Justiça Federal ainda não decidiu se vai abrir processo contra o empresário. No documento, o MPF pede também o arresto (bloqueio de bens) para indenizar possíveis prejuízos. Entre os bens, estão casas, apartamentos, carros, barcos e aeronaves, que juntos, somariam até R$ 1,5 bilhão. "A quantia equivale ao prejuízo suportado pelo mercado de ações em consequência da conduta criminosa protagonizada pelo denunciado”, explicam os procuradores da República Rodrigo Ramos Poerson e Orlando Monteiro da Cunha, autores da denúncia. Ao G1, os advogados de defesa Raphael Mattos e Ary Bergher informaram que Eike negou as denúncias em depoimento à polícia. Eles informaram também que não foram recebidos pelo procurador federal, apesar de tentativas de apresentar os documentos para esclarecer o caso. "Ele nega qualquer tipo de manipulação de mercado, isto efetivamente não tem o menor suporte probatório. A informação privilegiada é absolutamente inverídica também", disse Mattos, que garantiu sequer ter acesso às denúncias.

Leia mais em

http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2014/09/mpf-rj-denuncia

 

Óleo e Gás conclui renegociação de contrato para plataforma OSX 3

 

A Óleo e Gás Participações, em recuperação judicial, concluiu a renegociação do contrato de afretamento da unidade de produção de petróleo FPSO OSX 3, da OSX Brasil, informou a petroleira em fato relevante sexta-feira. A plataforma OSX 3, que pertence a empresa de construção naval OSX --também em recuperação judicial-- é responsável pela produção de petróleo da Óleo e Gás no campo de Tubarão Martelo, na Bacia de Campos, o principal ativo da companhia. "A Operação OSX 3 visa a ajustar os parâmetros para a continuidade da exploração do campo de Tubarão Martelo de maneira economicamente viável e por maior período", disse a Óleo e Gás em comunicado. A revisão de contrato inclui redução da taxa do afretamento da plataforma para 250 mil dólares por dia a partir da data de entrega da embarcação (19 de novembro de 2013). O acordo prevê ainda a taxa de afretamento acumulada na primeira fatura, de 19 de novembro de 2013 a 31 de agosto de 2014, a ser paga dentro de três dias úteis a contar da data de fechamento (17 de setembro de 2014). A renegociação é um importante passo para a recuperação judicial tanto da Óleo e Gás quanto da OSX, já que trata de esclarecimentos de como serão tratados os bonds emitidos pela OSX para atender contratos com a Óleo e Gás. Ambas as empresas foram fundadas pelo Eike Batista e causaram o estopim de uma crise financeira que abalou todas as empresas do empresário, pertencentes ao Grupo EBX. Com os novos termos, a Óleo e Gás passa a ter o direito de rescindir o Contrato de Afretamento imediatamente, sem que seja penalizada por isso, observados determinados eventos.

Leia mais em

http://br.reuters.com/article/businessNews/idBRKBN0H71ZQ201409

 

ANP autoriza testes de gasolina com maior teor de etanol

 

A Petrobras foi autorizada pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustível (ANP) a comercializar gasolina com maior teor de etanol na mistura. A proposta é realizar testes com uma frota limitada de veículos de duas montadoras com o teor de 27,5% de etanol anidro na mistura da gasolina. A comercialização terá validade de 190 dias contados a partir de quinta-feira (11). A decisão aconteceu na última reunião de diretoria, no dia 3 de setembro. O aumento da mistura de etanol anidro na gasolina é uma medida para aliviar o caixa da companhia, em função da defasagem no preço doméstico do combustível em comparação aos valores no mercado internacional. A medida já vinha sendo estudada pelo Ministério de Minas e Energia (MME) e agora entra na fase final de testes. De acordo com a decisão da ANP, a gasolina C será constituída de 72,5% de gasolina e 27,5% de etanol anidro. A autorização é válida somente para a Petrobras Distribuidora em contratos específicos com as montadoras Volkswagen e Caoa, representante da Hyundai. A decisão limita a 525 mil litros consumidos no total, divididos entre as duas montadoras.

Leia mais em

http://www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/economia/2014

 

Multas da ANP à Petrobrás chegam à R$ 199 milhões

 

Problemas na medição da produção em uma plataforma da Bacia de Campos levaram a Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustível (ANP) a aplicar nova multa contra a Petrobrás no valor de R$ 35,3 milhões. Ao todo, a agência reguladora já puniu a estatal em R$ 199 milhões desde julho. A ANP não deu detalhes sobre as infrações no sistema de medição da plataforma, mas nega que estejam relacionadas à queima excessiva de gás. A multa foi confirmada na última reunião de diretoria, em 3 de setembro. Não cabem mais recursos administrativos e a estatal só poderá recorrer à Justiça comum. A ANP se limita a informar que identificou “não conformidades” no sistema de medição da produção na P-40, no Campo de Marlim Sul. Segundo a autarquia, o problema foi verificado em inspeção nos dias 31 de outubro e 1.º de novembro de 2012. Nesses dois meses, a produção do campo foi a maior do País, atingindo 327 mil e 344 mil barris de óleo equivalente por dia, respectivamente. Após a decisão, a empresa tem 75 dias para pagar. Essa é a nona multa da companhia desde julho, quando a agência iniciou o julgamento de uma sequência de recursos e fiscalizações da estatal. No total, os valores somam R$ 199 milhões, no momento em que a companhia passa por uma situação de forte constrangimento financeiro. Além das multas, ainda há pelo menos um auto de infração pendente de julgamento. Na última semana, a ANP acatou pedido da Petrobrás para considerar a análise de novos documentos sobre a medição de uma unidade de produção. Há ainda outras infrações que foram pagas sem recurso, com desconto de 30% sobre os valores cobrados.

Leia mais em

http://estadao.br.msn.com/economia/multas-da-anp-%C3%A0

 

ANP acata pedido da Shell e suspende avaliação de poço

 

A Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) atendeu à solicitação da petroleira Shell para suspender o plano de avaliação de descoberta do poço Epitonium, na Bacia de Santos. O poço está contemplado no contrato BM-S-54, que também abarca a área de Gato do Mato, principal descoberta da companhia. A suspensão ocorre até a declaração de comercialidade de Gato do Mato, atualmente alvo de "tratativas" com a Pré-Sal Petróleo S/A (PPSA) para uma possível unitização. A decisão atendeu a um pedido da Shell, que deseja concentrar seus esforços em Gato do Mato, considerada principal reserva da companhia e área mais promissora para produção. A área, entretanto, está localizada próxima a uma reserva do pré-sal ainda não leiloada pela agência reguladora. Por isso, a empresa e a PPSA discutem a melhor solução para definição dos limites da reserva, processo conhecido como unitização. De acordo com a ANP, em reunião de diretoria do último dia 3, a decisão prevê ainda que os autos do processo sobre Gato do Mato sejam encaminhados à estatal responsável pela regulação dos contratos do pré-sal. A partir daí, segundo a decisão da diretoria executiva da ANP, serão iniciadas as "tratativas com vistas ao Pré-Acordo e Acordo de Individualização da Produção". Ambas as áreas, Gato do Mato e Epitoniun, integram o contrato BM-S-54, na Bacia de Santos, onde a Shell possui 80% do consórcio. A participação adicional pertence à francesa Total. O contrato está na fase de exploração, mas o consórcio temia perder os prazos contratuais e ter que devolver à ANP a área de Epitonium.

Leia mais em

http://exame.abril.com.br/economia/noticias/anp-acata-pedido

 

Diretor da Raízen fala do aproveitamento integral da cana no Usinas de Alta Performance

 

Antonio Alberto Stuchi, diretor executivo de produção da Raízen apresentará o caso de sucesso da empresa com o tema “Aproveitamento integral da matéria-prima e das plantas industriais”, no Fórum ProCana Usinas de Alta Performance, no dia 18 de setembro, em Ribeirão Preto (SP). Segundo ele, o assunto principal de sua apresentação será o uso do potencial da biomassa e da vinhaça como alternativa para aumentar a rentabilidade do setor. “Como estamos trabalhando com uma margem muito apertada e uma pressão violenta de custos, temos que fazer mais com menos. Temos que aumentar a produtividade agrícola o máximo possível da área que possuímos. A única maneira de sair da crise é aumentar a eficiência. É preciso encontrar alternativas inovadoras para aumentar essa eficiência”, ressalta. O evento apresentará os “Casos de resultados comprovados no incremento da rentabilidade e da competitividade das usinas” e Modelos de negócios sustentáveis, compatíveis com a diversidade de desafios e a alta volatilidade do mercado sucroenergético; Alternativas inovadoras na reestruturação & capitalização das empresas; Metodologias consagradas na redução de custos e excelência operacional e Tecnologias que permitem maximizar o aproveitamento agroindustrial da cana-de-açúcar.

Leia mais em

http://www.jornalcana.com.br/diretor-da-raizen-fala-do-aproveitamento

 

Ex

ALTA RODA

Fernando Calmon

 

Fernando Calmon é engenheiro e jornalista especializado no setor automobilístico desde 1967, quando produziu e apresentou o programa 'Grand Prix' na TV Tupi, no ar até 1980. Dirigiu a revista AutoEsporte por 12 anos e foi editor de automóveis das revistas O Cruzeiro e Manchete. Entre 1985 e 1994, produziu e apresentou o programa 'Primeira Fila' em cinco redes de TV. A coluna Alta Roda, criada em 1999, é publicada semanalmente na internet. Calmon também atua como consultor em assuntos técnicos e de mercado na área automobilística, e como correspondente para o Mercosul do site inglês just-auto. E-mail: fernando@calmon.jor.br e www.twitter.com/fernandocalmon

 

Novo uno em carreira solo

 

Fiat foi rigorosa quanto ao tempo correto de renovação do Uno. Lançado há pouco mais de quatro anos, o novo modelo 2015 chega agora com a responsabilidade de melhorar as vendas, depois do fim do Uno Mille, que chegava a representar 50% dos resultados, distorção típica do mercado brasileiro. Para essa espécie de carreira solo o carro está bem preparado, apesar de motores com mesma potência/torque e sem direção eletroassistida, em termos mecânicos.  A inalterada versão Vivace 2/4 portas continua a ser a de entrada, repetindo a dupla personalidade do Nissan March.

 

A renovação externa se concentrou na parte frontal (para-choque, grade, faróis, lanternas e para-lamas) com bom resultado estético. Atrás, apenas novas lanternas que impressionam mais vistas de perto do que de longe. No total são cinco versões, incluindo a Evolution (no lugar da Economy) e a Sporting, marcada pela ponteira de escape dupla central que tem apenas apelo visual.

 

Na parte interna, no entanto, impôs um conceito ousado para esse segmento. Além de tudo novo, a Fiat incluiu no painel um quadro de instrumentos avantajado (em destaque o computador de bordo) e central multimídia com navegador GPS (opcional). O volante, regulável apenas em altura, tem botões de seleção nos raios. Bancos dianteiros são novos e têm regulagem fácil e correta de altura para o motorista. Há até cinto de segurança de três pontos para o passageiro central no banco de trás, muito mais importante para a segurança passiva do que um simples apoio de cabeça, também incluído.

 

Outra ousadia foi substituir a alavanca de câmbio por botões no console quando equipado com o automatizado de apenas uma embreagem, mantendo as borboletas no volante. Houve um passo adiante ao acrescentar relações de câmbio específicas e acelerômetro, que reduziram bem os vazios de aceleração nas trocas de marcha. No modo Sport, uma boa acelerada, em trecho livre de Buenos Aires (onde se deu o lançamento), permitiu sentir trocas mais rápidas. Agora existe um bem dimensionado apoio para o pé esquerdo.

 

Novidade entre carros nacionais é o sistema Start-stop (desliga-liga), apenas na específica versão Evolution com câmbio manual e motor 1.4, que traz ainda pneus superverdes de baixo atrito de rolamento. Nessa faixa de preço o fator economia de combustível é o segundo mais desejado, segundo a Fiat. Em situações de tráfego denso e muitas paradas, é possível alcançar economia de combustível de até 20%, com gasolina ou etanol. Se o ar-condicionado estiver ligado, o motor volta a funcionar depois de um minuto mesmo sem o procedimento de acionar o pedal de embreagem. Assim, em dias bem quentes, perde-se pouco em conforto térmico a bordo, pelo menos no caso dos passageiros da frente.

 

O novo Uno 2015 parte de R$ 30.990 (sem ar-condicionado), na versão Attractive 1.0, ou R$ 1.570 a mais que o ano-modelo 2014, compatível com as melhorias adicionadas (quase sem aumento real, na prática). A Evolution (1.4) custa R$ 34.990 e a Sporting , R$ 36.560. Esses preços se combinam com opcionais de fábrica e acessórios (instalados nas concessionárias). Pela primeira vez, para quem desejar, o carro pode ultrapassar os R$ 50.000, quase o dobro da versão Vivace 2-portas de R$ 26.370.

 

Semáforos amigos

 

Conectividade e automação são duas soluções em que os automóveis, daqui em diante, mais avançarão. O segundo recurso ainda depende de redução de custos e de alguma regulamentação adicional dos códigos de trânsito de cada país. Mas a utilização da massa de possibilidades da rede mundial interconectada de computadores, que a internet coloca à disposição, ainda terá desdobramentos surpreendentes para a indústria automobilística.

 

 

Na recente Feira de Eletrônica de Consumo (CES, em inglês), em Las Vegas, EUA uma nova tecnologia de reconhecimento avançado dos semáforos de trânsito foi demonstrada para aliviar a dura rotina dos motoristas no dia a dia das cidades. De quebra pode melhorar a fluidez e evitar as pesadas multas de desrespeito eventual à sinalização.

 

Iniciativa da Audi foi de atrelar a internet a bordo à rede de semáforos inteligentes que muitas cidades utilizam em computadores centrais de controle de trânsito. A novidade é capaz de assimilar em tempo real a sequência e o intervalo de troca de sinais no entorno do carro. Em seguida transmite essa referência ao quadro de instrumentos e o Sistema de Informações ao Motorista (SIM) mostra a velocidade correta para que alcance o maior número possível de sinais verdes. Um ícone representa o semáforo com as três luzes: vermelha, amarelo e verde.

 

Se o automóvel está parado no sinal vermelho, o SIM calculará o tempo restante até mudar para o verde e reproduzirá uma contagem regressiva no painel. Esse recurso se integra ao sistema desliga-liga o motor e providenciará a partida automática do motor cinco segundos antes de o sinal liberar a passagem.

 

A empresa calcula que a interação on line da rede de semáforos com os carros em movimento tem potencial de reduzir as emissões de gás carbônico (CO2) em até 15% em razão de economizar quase um bilhão de litros de combustível por ano, se utilizada em toda a Alemanha, cuja frota total é de quase 50 milhões de veículos.

 

 

Segundo o fabricante, a tecnologia já está totalmente funcional, testada e pronta para entrar em produção em toda a sua linha, à espera apenas de autorização governamental. Uma demonstração nas avenidas e estradas em torno de Las Vegas, em janeiro passado, com 50 semáforos ou faróis, foi bem sucedida. Testes também estão em curso na cidade italiana de Verona e envolvem 60 sinais que cobrem praticamente todo o centro da cidade.

 

Experiência mais abrangente é em Berlim. Na capital alemã, 25 clientes de carros comuns equipados com o sistema interagem com sucesso à rede de 1.000 semáforos inteligentes da cidade.

 

Conectividade entre automóveis, motoristas e o mundo digital já permite que o veículo procure sozinho, sem ninguém atrás do volante, uma vaga em estacionamento, faça as manobras para entrar na vaga e depois saia e retorne às mãos do seu dono, apenas ao sinal enviado por telefone inteligente.

 

Acredita-se que antes de se autorizar, em larga escala, a direção autônoma por ruas e estradas, a utilização em velocidade reduzida nos estacionamentos servirá de teste definitivo para a nova tecnologia. Afinal, envolve baixos riscos, além de se sujeitar menos a adaptações da legislação de trânsito e a questões jurídicas de responsabilidade civil.

 

 

RODA VIVA

 

SALÃO do Automóvel de São Paulo (30/10 a 9/11) terá quase um festival de modelos pseudoaventureiros, entre outras atrações e estreias de peso. Além do Sandero Stepway e do Cross up!, focados em pura decoração, haverá dois novos SUVs compactos: Peugeot 2008 (nacional em 2015) e Renault Captur (importado). Protótipo derivado do March, também.

 

QUEDA do mercado interno continua a se aprofundar: quase 10% em relação a janeiro-agosto de 2013. Para a Anfavea, houve a comoção com a morte do presidenciável Eduardo Campos que acabou por impactar as expectativas do consumidor, especialmente no Nordeste. Nos últimos meses do ano se espera reação de vendas, pois o IPI deve subir em janeiro.

 

FENABRAVE até já contabilizou o provável aumento de liberação de crédito, quando os bancos puderem retomar veículos de inadimplentes sem as dificuldades de hoje. Estima em até 20% a elevação do nível de aprovação de pedidos, o que significa 30 mil automóveis e comerciais leves a mais por mês, ou o equivalente a um 13º mês de vendas. Em um segundo momento, juros podem diminuir.

 

AUMENTO da procura por modelos automáticos levou a Citroën a estender essa opção também à versão intermediária do C3, a Tendance (antes só na Exclusive). Por R$ 51.000 é um carro bem equipado e com câmbio de quatro marchas. Reprogramação eletrônica melhorou respostas ao acelerador e tornou a passagem de marchas mais suaves.

 

ENXUGAMENTO da oferta exagerada de modelos compactos, por parte da GM, já era esperado. Havia certo conflito na linha de produtos, além de mercado recessivo. Parou a oferta do Agile (ainda em produção na Argentina) e do Sonic (hatch e sedã), ambos importados do México, com problema de cotas ainda a ser resolvido pelos governos.