Logo Posto Hoje

INFORMAÇÃO E SERVIÇOS PARA POSTOS DE COMBUSTÍVEIS

Atualizado em

06 de julho

de 2015

POSTO HOJE É ENVIADA SEMANALMENTE  A MAIS DE 8.000 POSTOS DE COMBUSTÍVEIS. FAÇA TAMBÉM SEU CADASTRO.

PetroRio: ANP aprova cessão dos contratos de concessão do Solimões para a Rosneft

 

A PetroRio divulgou fato relevante nesta segunda-feira (6) anunciando que recebeu a confirmação da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), através dos Ofícios 560/2015/SEP e 561/2015/SEP, da aprovação da Cessão de Direitos relativa a sua participação nos contratos de concessão dos blocos de gás e petróleo localizados na Bacia Sedimentar do Solimões para a Rosneft Brasil E&P Ltda. ("Rosneft"), subsidiária da Rosneft Oil Company, concedida em 01 de julho de 2015. Desde a assinatura dos contratos definitivos para venda e transferência da totalidade da participação da PetroRio no Solimões, as partes vêm trabalhando na transição das operações, garantindo que a transferência definitiva ocorra dentro dos padrões de segurança e qualidade operacional da Companhia. "A transferência da totalidade das operações do Solimões minimiza a exposição da PetroRio ao risco exploratório e está completamente coerente e alinhada com a estratégia da Companhia, uma das mais importantes empresas emergentes da indústria petrolífera brasileira", afirma em nota a companhia.

Leia mais em  http://www.jb.com.br/economia/noticias/2015/07/06/petrorio-anp-a

 

Crise financeira leva Estaleiro Mauá a fechar as portas em Niterói

 

O Estaleiro Eisa – Petro Um (antigo Mauá) – fechou as portas, temporariamente, em razão da crise financeira provocada pelas medidas de adequação da Petrobras à nova realidade financeira surgida a partir da Operação Lavo Jato, deflagrada pela Polícia Federal, que levou a prisão diversos ex-dirigentes da estatal e também algumas das principais empreiteiras do País. Em nota divulgada quinta-feira (2), o Sindicato dos Metalúrgicos de Niterói e Itaboraí informou que o fechamento das portas da empresa será necessário até que o estaleiro se adeque às questões financeiras. O estaleiro está localizado no Bairro Ponta da Areia, em Niterói, e é administrado pelo grupo Synergy. O documento enviado aos funcionários, por meio de uma circular, informa que todos os trabalhadores devem permanecer em casa. No documento, o grupo Synergy avisa que as atividades estão encerradas temporariamente e atribui a medida à crise financeira cada vez mais profunda que vem atravessando. A recomendação chegou aos trabalhadores nove dias após outros mil funcionários terem sido demitidos.

Leia mais em  http://www.dm.com.br/economia/2015/07/crise-financeira-leva-esta

 

Consumo de gasolina cai e país volta a exportar combustível

 

A retomada das vendas de etanol derrubou o consumo brasileiro de gasolina nos cinco primeiros meses de 2015 e pode ter contribuição positiva para o fechamento da balança comercial brasileira no ano. Segundo dados compilados pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), a demanda pelo derivado de petróleo caiu 5,4% entre janeiro e maio, enquanto o mercado de etanol hidratado subiu 34,9%. Os impactos do cenário já começam a aparecer nas estatísticas de comércio exterior: em junho, as vendas externas de gasolina registraram alta de 129% com relação a igual mês em 2014, mesmo com preços mais baixos no mercado internacional. De acordo com especialistas, a mudança tem relação com o aumento da mistura de etanol anidro na gasolina, que começou a vigorar em março, e com a melhora de competitividade do etanol hidratado após os últimos reajustes nos preços dos combustíveis — fruto de decisão da Petrobras, em novembro, e de aumento da carga tributária, este ano, como parte do programa de ajuste fiscal. Ainda não é possível, porém, determinar se a tendência de aumento das exportações se manterá até o final do ano.

Leia mais em  http://www.midianews.com.br/conteudo.php?sid=8&cid=236298

 

Navio-plataforma Cidade de Itaguaí chega ao campo de Lula

 

O navio-plataforma FPSO Cidade de Itaguaí já está ancorado na Área de Iracema Norte do campo de Lula, no polo Pré-Sal da Bacia de Santos, litoral do estado do Rio de Janeiro. A unidade tem capacidade de produção de 150 mil barris de óleo por dia e compressão de 8 milhões de metros cúbicos de   gás natural por dia. A produção de petróleo no campo tem previsão de ser iniciada ainda no terceiro trimestre deste ano. Ancorado a 240 km do litoral do Rio de Janeiro, em profundidade d´água aproximada de 2.240 metros, o FPSO Cidade de Itaguaí será conectado a oito poços produtores e nove poços injetores. O gás natural será exportado para terra via gasoduto submarino. Adicionalmente, a unidade tem capacidade de armazenamento de 1,6 milhão de barris de petróleo e capacidade de injeção de 264 mil barris de água por dia. Com conteúdo local de 65%, o Cidade de Itaguaí teve 12 módulos construídos no Brasil, sendo 10 no canteiro da Empresa Brasileira de Engenharia (EBE), em Itaguaí (RJ) e dois no canteiro da Schahin, em São Sebastião (SP). A integração dos módulos foi realizada no estaleiro BrasFELS, em Angra dos Reis.

Leia mais em  http://www.jb.com.br/economia/noticias/2015/07/03/navio-platafor

 

Biodiesel evita importação de US$ 166 milhões em petróleo

 

A elevação na mistura de biodiesel ao diesel mineral, de 5% para 7%, aprovada em 2014, gerou uma economia milionária ao País até maio. Para 2015, estima-se que cerca de US$ 250 milhões deixem de ser gastos com importações do combustível fóssil. Levantamento divulgado pela Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove) mostra que, só nos cinco primeiros meses do ano, o uso do biocombustível produzido no Brasil evitou a entrada de 325 milhões de litros em combustíveis. Isso significa uma redução de US$ 166 milhões na conta petróleo. De acordo com a entidade, apesar da queda, o País ainda importou 3,6 bilhões de litros no período, tamanha a dependência do mercado externo para este segmento.

Leia mais em  http://www.cenariomt.com.br/noticia/456964/biodiesel-evita-import

 

Preço dos combustíveis é decisão da Petrobras, diz Barbosa

 

O ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, afirmou a jornalistas quinta-feira, 2, que a Petrobras "tem toda a liberdade corporativa para tomar decisões", incluindo o reajuste de preços dos combustíveis. O presidente da petroleira, Aldemir Bendine, declarou que não descarta um reajuste este ano. "O preço dos combustíveis é uma decisão corporativa da Petrobras. O governo indicou representantes do setor privado para representá-lo no Conselho de Administração da Petrobras, que tem toda a liberdade corporativa para tomar decisões", disse o ministro. "Sobre eventuais impactos dessas decisões que ainda não ocorreram eu obviamente ainda não tenho o que dizer", completou. Barbosa frisou no final da entrevista que a economia brasileira está se movendo na direção certa, "mas essas coisas levam tempo", sobretudo em um país grande e com economia diversificada como o Brasil. O ministro frisou, ainda, que acredita que a visão geral do Congresso é de que as medidas de ajuste na política econômica precisam ser adotadas. "No final desse processo, a economia fica mais forte", afirmou.

Leia mais em  http://exame.abril.com.br/brasil/noticias/preco-dos-combustiveis-e-

 

A 22ª edição do boletim Petróleo e P&D está disponível para leitura no sítio da ANP em http://www.anp.gov.br/?pg=76355

 

ALTA RODA

Novidades não param

 

 

Fernando Calmon

 

Fernando Calmon é engenheiro e jornalista especializado no setor automobilístico desde 1967, quando produziu e apresentou o programa 'Grand Prix' na TV Tupi, no ar até 1980. Dirigiu a revista AutoEsporte por 12 anos e foi editor de automóveis das revistas O Cruzeiro e Manchete. Entre 1985 e 1994, produziu e apresentou o programa 'Primeira Fila' em cinco redes de TV. A coluna Alta Roda, criada em 1999, é publicada semanalmente na internet. Calmon também atua como consultor em assuntos técnicos e de mercado na área automobilística, e como correspondente para o Mercosul do site inglês just-auto. E-mail: fernando@calmon.jor.br e www.twitter.com/fernandocalmon

 

Sem dúvida, a semana que passou foi a mais agitada do ano, com dois lançamentos no exterior (Chevrolet Cruze, em Detroit e Alfa Romeo Giulia, em Milão) e um no Brasil (Ford Focus atualizado, em Fortaleza). Cada um tem sua importância relativa: Cruze, inteiramente novo, é o mesmo que a Argentina produzirá a partir do final de 2016; Giulia marca o renascimento da outrora invejável marca italiana no dia em que completou 105 anos; o também argentino Focus hatch agora fica igual ao produzido em outros continentes, o que deixa a Ford com todos os seus automóveis alinhados aos do exterior.

 

O médio-compacto da Chevrolet (a ser feito no México) chega ao mercado americano em março próximo e no Brasil no final de 2016. O carro cresceu – 2,7 metros de distância entre-eixos garantem ótimo espaço interno –, porém ficou 150 kg mais leve. Apresentação do modelo mais vendido da marca foi estática e só da versão de topo, como é usual, embora a empresa tenha confirmado que o motor será um turbo de 1,4 litro/154 cv até 10% mais econômico que o atual aspirado de 1,8 L. Há vários dispositivos eletrônicos de segurança oferecidos de série a fim de elevar o nível de concorrência até com marcas premium.

 

Giulia escolhido para apresentação no palco, sem acesso ao seu interior, foi a versão de alto desempenho Quadrifoglio, seu símbolo nas corridas. Visto de perfil lembra o BMW Série 3, mas de frente traz a tradicional grade triangular (“cuore” da marca) e traseira também ousada com quatro saídas de escapamento em arranjo inusitado. Alfa Romeo não deu pormenores técnicos, mas a potência de 510 cv de seu V-6 turbo é a mesma do Mercedes-Benz C-63 S AMG e distribuição de peso de 50% em cada eixo (tração traseira) segue o mesmo “ponto de honra” da BMW. Mais importante: entra no clube super-restrito dos sedãs capazes de acelerar de 0 a 100 km/h em menos de 4 s (exatos 3,9 s).

 

A Ford, além das mudanças visuais na parte frontal do Focus hatch 2016, aumentou o conteúdo sem elevar o preço (corresponde a queda real), fez ajustes na suspensão traseira, na direção eletroassistida, retocou o interior e adotou novo volante com borboletas para troca de marchas no câmbio automatizado de duas embreagens, da versão de topo Titanium. Preços começam em R$ 69.900 e vão a 95.900. Entre as novidades, sistema anticolisão até 20 km/h e de assistência ao estacionar em vagas longitudinais e transversais.

 

A empresa decidiu ofertar condições de trocas especiais para quem comprou a geração anterior, que mudou há menos de dois anos, fora dos padrões do mercado brasileiro bastante sensível a novidades. A versão sedã, no fim de julho, terá o nome adicional Fastback para tentar um equilíbrio com o hatch, que representa cerca de 90% das vendas totais do Focus.

 

A GM também anunciou a expansão internacional de seu serviço OnStar de assistência remota, lançado há 19 anos nos EUA. Aqui estreará no Cruze 2016 (geração anterior à nova mostrada em Detroit) em setembro próximo. O sistema inclui chip telefônico próprio para facilitar comunicação com a central administrativa e oferecer desde mapas eletrônicos personalizados e destravamento remoto das portas, a serviços de reservas, de apoio e emergenciais.

 

RODA VIVA

 

DEPOIS da picape de quatro portas compacta Oroch, que chega em dois meses, a Renault partirá para o crossover Captur. Na realidade o nome será o mesmo do francês e suas linhas terão semelhança, mas a arquitetura nada terá a ver com o Clio produzido na Europa, duas gerações à frente do que vem da Argentina.

 

CITROËN começa em setembro a produzir (início de vendas até um mês depois) o modelo 2016 do C3 Aircross, que receberá reestilização discreta de meia geração. Esta é a versão de suspensão elevada e estepe externo do monovolume C3 Picasso, justamente a que mais vende. Tanto que a fábrica já decidiu (embora não confirme agora) deixar apenas o Aircross em produção.

 

HONDA HR-V é dos raros modelos que superou expectativas. Crossover tem visibilidade e dirigibilidade entre seus destaques, porta-malas generoso e bom espaço no banco traseiro (assoalho plano e assentos erguíveis). Câmbio CVT não agrada, se muito exigido. Exclusivo (na faixa de preço) freio de estacionamento elétrico automático permite função elegível de arrasto em marcha lenta (creeping), que deveria ser padrão em carros automáticos.

 

DECORAÇÃO discreta é ponto positivo da perua VW Space Cross, além de direção precisa, suspensão firme e motor muito silencioso e elástico. Câmbio automatizado I-Motion está mais suave nas trocas de marchas, mas função creeping suprimida de forma permanente dificulta manobras em baixa velocidade.

 

POUCOS respeitam a placa “Pare” em cruzamentos. Em parte por ignorância: parar é parar mesmo, não apenas diminuir a velocidade, olhar e continuar. Outros a consideram perda de tempo e desnecessária, quando na realidade quem decide é quem colocou a placa. Mau hábito está arraigado e só multa (a mesma de avançar sinal) resolve.

Ex